domingo, 7 de março de 2010

Oficina OTTO: Quem é Alice para você?

Esse é o resultado da oficina que dei no bistrot OTTO no sábado, dia 06/03, com apoio da loja de garimpos Freddiegrace. Agradeço a todos pela oportunidade. A oficina será dada de novo dia 27 de março. Entrem em contato pelo email: alicemaravilha@gmail.com

Quem é Alice para você? era a pergunta que devia ser respondida através de uma colagem, que por sua estrutura fragmentada e múltipla, aponta para uma identidade em fluxo e transformação. Alice não sabe mais quem é depois de ter se transformado tantas vezes naquele dia. Também nos sentimos assim no mundo contemporâneo.

Para dar suporte teórico e imagético para o trabalho, mostrei inicialmente uma amplo repertório de imagens sobre Alice na arte e na ilustração, da Inglaterra vitoriana aos nossos dias.

Boa viagem...


Rafael Farina

Antes:

Durante muito tempo eu confundia, misturava Alice com o mágico de Oz. Acho que devido ao fato de ambas as estórias terem duas meninas buscando respostas infinitas em um mundo paralelo.

Não sei ao certo quem é Alice ou o que ela de fato representa para mim. Mas acho que a capacidade de gerar cada vez mais perguntas ao invés de ficar buscando respostas talvez seja o maior legado que a menina tenha deixado para mim.

Depois:

Minha idéia foi transportar Alice para o Brasil. Para começar, ela não seria uma menina ingênua. Seria uma cachorra siliconada em busca de 5 minutos de fama.

No lugar do chapeleiro, toparia com o Sílvio Santos. Não veria lagarta nenhuma, mas um bando de pássaros exóticos e um estilista de moda frenético por lançar sua nova coleção, contando os segundos do relógio. E, com certeza, não seria decapitada, mas vítima de uma inocente bala perdida.


Paulo Beto

Alice para mim é você.


Juliana Rodrigues

A contração do que é real para o imaginário. Mas para não ficarmos apenas no país da imaginação é necessário concentração.


Daniel Ortiz

Alice desperta reações e as interpreta de acordo com suas fraquezas e complexos, quando na verdade ela surge como o sol no país das maravilhas iluminando as imperfeições dos seus habitantes.

Anabel Brito

Alice é um ser e uma obra original que permite nos relacionar pessoalmente de diferentes formas.

Mariana Nobre

Antes:
Minha Alice é uma moça, que mora sozinha, em uma cidade que não é a dela e que persegue um coelho, com o qual ela se identifica totalmente, por que ele está sempre atrasado nesse mundaréu que é São Paulo. Ela não sabe bem o que procura, se sente grande e pequenininha, se engasga em seu próprio sonho, ou nas frustrações, que viram lágrimas, de vez em quando.

Depois:
Minha Alice se manteve desesperada, apressada, mas agora não se debulhou em lágrimas. Encontrou Bosch e seu jardim hedonista, cheio de lagartas sedutoras. Dessa forma, Alice cresceu, mas os pesadelos também. Alice sonha com o coelho buzinando em sua orelha, lembrando-na que ela está, mais uma vez, atrasada. A paulista é o fundo desta colagem não por acaso. Este é o epicentro de sua epopéia. Seu "marco zero" e seu sonho, junto com os preedios do seu mundo idealizado.


João Viana

Quando penso em Alice, me deparo com vários adjetivos: curiosa, viva, apressada. Alice parece não ter tempo de olhar para tudo que pode ser observado. Há muitas coisas para se conhecer. E há poucas respostas para tantas perguntas. Há muitas coisas estranhas que não conseguimos compreender. Por isso elas são estranhas. Mas o estranho é amigo de Alice. Para ela não há como retroceder. There is no turning back. E ela continua sempre.

Um comentário:

  1. oiioio adorei as colagens.. uma mais linda q a outra... Vamos continuar viajando pelo mundo de ALice.. super bjo.... ;)

    ResponderExcluir

Seguidores